sábado, 31 de agosto de 2013

Nossos pais definem o nosso destino?




"Nossos pais definem o nosso destino?"


 Antes de chegarmos a esta vida, a nossa alma escolheu os nossos pais, a nossa família e as circunstâncias em que nasceríamos. Essa escolha foi feita com extremo cuidado e com a orientação dos conselheiros espirituais cuja tarefa é acompanhar o nosso progresso na Terra.
Na época, compreendemos que os nossos pais eram as pessoas perfeitas para nos ensinar as lições que precisávamos aprender.

Pais autoritários
Se julgávamos nosso pai muito autoritário, temos de examinar a lição que ele personificou para nós. As pessoas só são autoritárias quando tem muito medo da vida. Elas julgam o mundo exterior perigoso e tentam proteger a si e aos outros mediante uma estrutura rígida. Se tivemos um pai assim, a lição a aprender é enfrentar os nossos medos.

O pai de Sabrina era muito crítico e vivia a menosprezá-la — logo, a lição dela era aprender a amar e a valorizar a si mesma. O Universo sempre conduziu à sua vida pessoas que a criticavam e a desvalorizavam. Ela sabia que assim seria até que ela mudasse algo em si mesma.

Ela me telefonou um dia, parecendo muito contrariada. Num curso que ela ministrava, um dos participantes do sexo masculino vivia criticando-a em voz alta e publicamente. No final, ela lhe pediu que deixasse a classe. Ele foi rude e agressivo e ameaçou voltar na semana seguinte apesar do que ela dissera. Ela ficou apavorada com a possibilidade de que ele voltasse e ela não soubesse lidar com a situação.

Quando foi se consultar comigo numa sessão de urgência, ela tremia. Pedi-lhe que fechasse os olhos e voltasse ao momento em que o tal homem a criticara e ameaçara voltar na semana seguinte. De olhos fechados, ela pôde sentir o medo no plexo solar, bem como associá-lo com a sensação de não ser boa o bastante.

 Tratava-se de uma sensação familiar da época da adolescência. Sabrina conseguiu lembrar-se de uma ocasião em que o pai dissera que estava desapontado com as suas notas, e ela teve esse mesmo sentimento de desvalorização pessoal. Para ela, isso soara como uma rejeição esmagadora. Ela me disse que temia que os alunos a julgassem um fracasso e a rejeitassem.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

A esperança é a nossa Chave Mestra




 A esperança é a nossa Chave Mestra.

Quando nada dá certo
Enquanto ouvia as ondas cinzentas arrebentar na areia, Liz sentia sua vida se despedaçando ao seu redor. Tudo dera errado. Ela se sentia mal e estava convencida de que era tudo culpa sua.

Liz brigara com o companheiro e tinha certeza de que ele deixaria e voltaria para a antiga namorada. No estado de espírito perturbado que se apossara dela, Liz batera o carro, e o seguro só cobria prejuízos de terceiros. O pior de tudo é que ela trabalhara dia e noite na preparação de um projeto no trabalho. Sabia que o projeto era bom — muito melhor do que os outros —, mas o chefe o rejeitara de um modo muito desdenhoso.

Ela permanecia encolhida em meio ao vento frio como gelo, culpando-se, criticando-se e se menosprezando, com seus pensamentos rodopiando na sua cabeça até ela se sentir arrasada, com pensamentos sobre suicídio.

Nesse momento, o sol brilhou por entre as nuvens e ela se lembrou de uma das nossas sessões. Eu lhe ensinara a criar pais sábios, que podiam encorajá-la e dar-lhe conselhos em momentos como esse.

Ela interrompeu os pensamentos autodestrutivos, pôs-se de pé e começou a imaginar seus pais sábios. Sua mãe sábia e protetora lhe disse: “Você está faminta. Vá comer alguma coisa quente e começará a se sentir melhor. Você sabe que Jim a ama; fale com ele com bastante tato.”

Seu pai sábio lhe disse: “Você se saiu muito bem; estou orgulhoso de você, O projeto é excelente, merece reconhecimento. Seu patrão simplesmente não compreende o seu valor. É hora de ter coragem. Procure o diretor-executivo.” E acrescentou: “Liz, você é linda; eu a amo e Jim também.”

Ela escutou as vozes sábias e começou a se sentir melhor. Deixou a praia fria e foi procurar um lugar quente onde pudesse comer alguma coisa. Então, sentindo-se muito mais forte, voltou para o trabalho e procurou o diretor-executivo. Ele escutou o que ela tinha a dizer, gostou do projeto que ela elaborara e decidiu passar por cima do chefe de Liz. Ela se sentiu acolhida, valorizada e feliz.

Nesse estado de espírito, foi para casa e procurou encarar de forma positiva as suas dificuldades com Jim. Conseguiu aceitar que ela também contribuíra para criar essas dificuldades. Quando Jim chegou em casa, ela se mostrou afetuosa, receptiva e pronta a ser sincera.

 Eles se entenderam sem maiores problemas.
Jim deu uma olhada no carro batido. O que parecia uma catástrofe à luz da atitude mental negativa de Liz, tornou-se pouco mais que uma amassadinha quando ela e Jim o examinaram. Ele disse que podia desamassar e repintar com facilidade.

Nós criamos nossa realidade




"Nós criamos nossa realidade" 

O modo como percebemos o mundo depende das crenças que mantemos.

A energia da expectativa é mais forte do que a do desejo, eis porque conseguimos o que secretamente esperamos que aconteça, e não o que queremos que aconteça.

Nós vemos o que esperamos ver. Ouvimos o que esperamos ouvir. Conseguimos fazer o que acreditamos fazer, concedendo a nós mesmos aquilo que acreditamos merecer.

Se a verdade é uma coisa, e dela só vemos as partes
que esperamos ver, nossa realidade torna-se subjetiva.

Como a energia do Universo dá automaticamente a todos aquilo que esperam e acreditam merecer, cada um de nós cria sua própria realidade subjetiva.

Quando acreditamos em algo, esperamos que isso aconteça. A expectativa é muito mais forte cio que o desejo. Então conseguimos o que esperamos que aconteça, e não o que queremos que aconteça.

As pessoas vêem o que esperam ver.

Nós ouvimos o que escolhemos ouvir. Todos conseguimos ouvir seletivamente nosso nome pronunciado numa sala lotada. Mães cansadas conseguem dormir com o barulho de trovões, mas acordam quando seus bebês choram.

Uma mulher acredita que os homens são indignos de confiança. Ela quer confiar nos homens de sua vida, mas espera que eles a abandonem. Age na defensiva, cuidadosamente, com desconfiança, sem tomar consciência disso. Suas expectativas são correspondidas.

Então os homens realmente se tornam infiéis com ela. Isto confirma sua crença, e assim ela está justificada por não acreditar em que os homens sejam dignos de confiança, pois isto corresponde à realidade pessoal que ela criou.

Outra acredita que todos os homens são dignos e confiáveis. Seu pai era assim. Seus irmãos também. Ela pode confiar nos homens de forma aberta e amigável. Os homens de sua vida correspondem a isso. Jamais sonhariam em abandoná-la, e reforçam sua crença. Sua realidade é a de que os homens são confiáveis.



Estas duas mulheres vivem no mesmo mundo, sujeitas às mesmas Leis. A Lei diz que nos será dado aquilo que acreditamos. O que acontece a essas mulheres revela publicamente as crenças secretas que elas mantêm dentro do coração.

Pauline não acreditava plenamente em que era bonita ou suficientemente boa. Seu marido era um homem muito bonito e atraente, que a amava muito. Ele era muito sociável, e gostava de pessoas.

 Num jantar dançante da empresa, ele dançou muitas vezes com Pauline e também conversou e dançou com muitas outras esposas. Ficou surpreso quando Pauline o acusou de tê-la ignorado e dançado com a jovem e bela esposa de um colega.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

JULGAMENTOS E ESPELHOS




JULGAMENTOS E ESPELHOS

Quem é o nosso Juiz internalizado?

O julgamento baseado no egocentrismo narcísico pertence ao ego, ao pequeno Eu  que quer ocupar o lugar daquele que “Tem” o poder de condenar, discriminar com preconceitos, julgar em nome das suas crenças, da sua religião, da sua cultura, dos seus valores, do seu caráter. A personalidade internaliza sua cultura, a lei, as crenças como parâmetro para o seu julgamento individualizado.

Fora da dualidade é possível compreender empaticamente os dois lados, sem julgamentos...


O inferno e o céu  são construídos no cenário "atual" da nossa mente e lá seremos ou não julgados... é uma escolha compreender ou julgar.

Que o Cristo seja o meu Juiz interno na hora da minha morte.


Aquele que olha o mundo com os olhos da Alma compreende e perdoa. A Alma reconhece a Unidade, a força do dharma da União, da harmonia e, assim ela pode voar livre como um pássaro na direção da felicidade do dharma.

 Aquele que julga e condena com severidade, carrega uma “lei” interna implacável  que pune e isola a si mesmo. Eu escolho,  você faz escolhas e cada um justifica as suas motivações. Não há perdão, confiança, tolerância e liberação -  não abre o coração para o dharma, para a felicidade.


“A forma do carma/dualidade é ter juízes, leis, árbitros; examine os motivos e procure por opiniões, e tente determinar um padrão para o certo e errado. Você nunca encontrará”. DharmadhannyaEL



“JULGAMENTOS E ESPELHOS”

“Como já vimos, a vida é uma dança de empurrões e puxões, de atração e repulsão, à medida que atravessamos nossas experiências.

 Colocamos rótulos, tais como bom e mau, à dinâmica positivo- negativo em ação na maior parte de nossas experiências e, consequentemente, nossa repulsão ou atração, em direção a um ou outro lado de uma polaridade, mantém nossa consciência em rotação.

 A maior parte disto acontece em nível inconsciente e o que percebemos — física, mental e emocionalmente — é um sentido de estar desconfortável e instável em nosso meio.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

A Mente e a Física Quântica





A Mente e a Física Quântica

O universo apresenta evidência de mente em três níveis, O primeiro nível é o dos processos físicos elementares na mecânica quântica. Nesta, a matéria não é uma substância inerte, mas um agente ativo que constantemente faz escolhas entre possibilidades alternativas, segundo as leis da probabilidade.

 Toda experiência quântica obriga a natureza a fazer escolhas. Parece que a mente, manifestada como a capacidade de escolher, é, até certo ponto, inerente a cada elétron. O segundo nível em que detectamos.. a mente, é aquele da experiência humana direta.

 Nossos cérebros parecem dispositivos aptos para a amplificação do componente mental das escolhas quânticas feitas pelas moléstias que estão dentro da cabeça. . .

 Há evidência.. de que o universo como um todo é hospitaleiro ao crescimento da mente... Portanto, é razoável crer na existência de um terceiro nível da mente, um componente mental do universo. Se acreditarmos nesse componente, então podemos dizer que somos pequenos pedaços do aparato mental de Deus.  Freeman Dyson1

“Talvez o sujeito não tenha uma alma que seja sua, mas só um pedaço de uma grande alma — a grande alma que pertence a todos”.

Henry Margenau e a Mente Universal

É fácil encontrar entre os poetas, místicos e filósofos apoio para a natureza anímica, não-localizada, da mente; pode-se até acrescentar à lista alguns cientistas que de quando em quando se entretiveram com a idéia.

 Mas é extremamente raro encontrar um cientista contemporâneo, respeitado entre seus colegas por suas contribuições fundamentais a sua área, que tenha declarado em público que a mente é universal.

sábado, 24 de agosto de 2013

“A Graça da Vida e o Medo”.




Eu fiz alguns comentários com a letra azul.

“A Graça da Vida e o Medo”.

Há duas emoções que são a base de todos os sentimentos  - amor e medo.

 Amor é a aceitação de uma pessoa ou situação exatamente como ela é, sem julgamentos e sem esperar nada em troca.

O amor está relacionado com a Graça Infinita do amor de Deus que é a Luz - a Benção, a consciência, Liberdade, a força, proteção, sorte, saúde, alegria, abundância,  fertilidade..

Tudo o que não vem do amor vem do medo – o desamparo, abandono, o julgamento, o ódio, agressividade, a vingança, a solidão, a guerra, a separação, a violência, e o medo é o diabo que nós criamos, é o mundo que nos ameaça

As lições de vida objetivam livrar-nos do velho inferno que criamos com o  medo, e substituí-lo por amor, pela luz clara do Sol. No Caminho, é útil questionar se estamos seguindo as regras do amor ou do medo.

 Somos comandados por Deus ou pelo diabo? Nossas ações e reações vêm do amor ou do medo?

O amor é sempre mais forte do que o medo. Amor  é luz, e luz sempre consegue penetrar na escuridão.

Mas a escuridão não expulsa a luz.
O medo tem a ver com os sentimentos de não sermos bons o bastante, de não sermos apreciados, e com a morte ou destruição. Se não somos bons o bastante ou amados o suficiente, tememos ser rejeitados. A rejeição significa marginalização e solidão.

Para mim, o pior medo é o da solidão: o medo que surge no nascimento, com a separação da mãe.
E o medo de se separar de Deus, da Graça da vida, ou da energia do Universo.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Somos programados e o Carma - Parte 2




  Somos programados e o Carma - Parte 2

A Lei “Assim como damos receberemos” pode ser reforçada ao voltarmos para uma nova vida; então, o que fizemos aos outros teremos para nós. Se não assumirmos a experiência voluntariamente, seremos persuadidos pelos nossos guias ou ajudantes, que ressaltarão o beneficio de assumir o carma.

Talvez alguém que foi cruel, um tirano vingativo, pode precisar experimentar uma fraqueza física, uma herança genética que o deixe emocionalmente vulnerável.

Alguém que foi um perseguidor religioso pode se colocar em uma posição em que é perseguido. Alguém que usou o poder para ganhos pessoais pode escolher uma posição de impotência, com uma agravante que torne difícil sua afirmação.

Nossas lições são escolhas cármicas. Antes de nascermos decidimos atrair estas lições e situações; enquanto aprendemos as lições, estamos acertando mossas contas cármicas.

Para escolher as experiências de que precisamos para nosso crescimento durante uma encarnação.

Nosso Eu Superior examina todo os registros de nosso progresso espiritual e decide quanto carmas temos que sofrer, quais são as lições adicionais que precisamos aprender e qual seria o melhor modo de passar pelas experiências de que necessitamos.

Então decidimos sobre nossos pais, nossa família, nosso corpo, sexo, nacionalidade, cidade e data de nascimento.

Nosso sistema glandular. herança genética, pré- disposições familiares e o tipo de cultura em que nascemos são escolhas. Os medos que precisamos enfrentar são pré-programados dentro de nós.

Nada acontece por acaso. Estas pessoas e situações difíceis estão aí com um propósito.

Foi somente quando me foram explicadas as Leis do Carma que comecei a entender. “Carma é o balancete entre o bem e e o mal em nossas vidas. E o balancete do dar e do receber. As contas são acertadas não somente na vida diária mas também durante toda uma vida”.

Ganhamos bom carma quando nossos pensamentos e atos ficam do lado do amor e da oferta na vida cotidiana, trazendo felicidade para nossas vidas.

Ficamos com dívidas quando o balanço de nossos pensamentos e atos se inclina para o lado do medo e da crueldade, ou da avareza e da negatividade.

Somos programados na Infância.






                    "Somos Programados na infância."

           Pela Lei natural da Atração, atraímos para nossa vida aquilo
        em que      acreditamos.

        Os jesuítas diziam: “Dê-me uma criança de até sete anos
            e eu lhe devolverei o homem”.
         Eles sabiam que as crenças eram formadas nestes verdes anos,
          e depois  disso só existe repetição do mesmo programa,
          a menos que aprendamos como mudar isso.

Quando bebês, ou mesmo no útero, somos abertos e sensíveis aos pensamentos e sentimentos de qualquer pessoa perto de nós. As impressões se tornam cada vez mais fortes até se parecerem com fatos, quando então começamos a acreditar nelas. Assim formamos nosso sistema de crenças.

Enquanto bebês ou crianças sensíveis, as coisas que acontecem nunca são tão importantes quanto o modo como as percebemos. Isto se torna nossa realidade.

Vamos examinar o caso de Andy, cujas crenças e primeiros aprendizados tinham sido opostos aos do de Ann, de modo que ele havia criado uma vida bem diferente da dela.

Dizem que “daquele que não tem tudo será tirado”. Como Andy acreditava que não poderia ter o que queria, fez com que o ditado se cumprisse.

A mãe de Andy costumava estar ocupada e distraída. Ele tinha um irmão mais velho, que consumia grande parte do tempo e da atenção da mãe. Muitas vezes sua mãe não podia alimentá-lo quando estava com fome, causando-lhe a percepção de não ser importante. Assim foi implantada em sua mente a crença em sua falta de importância.

Como não era atendido imediatamente quando chorava, sentia-se mal amado naqueles momentos. Bebês são criaturas egocêntricas e sensíveis. Assumiu aquele sentimento de desamor como crença de não ser digno de amor.

AUM MANTRA

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Os anjos e o lugar sagrado para a cura





"Os anjos e o lugar sagrado para a cura"

Você está pronto para ser conduzido até um lugar sagrado de cura. Um belíssima ilha, chamada de Ilha da Regeneração, foi criada pelos anjos da cur para proporcionar esse local de cura. Essa ilha existe num plano sutil, e não no plano físico. A sua vibração altíssima impede que sejam criadas densidade e massa.

A essência do reino vegetal em toda a sua glória está presente aqui. A alma ou essência das árvores e das flores cintila à luz do Sol. As cores da flores são muito mais belas do que no plano físico. É como se as almas da árvores e das flores da Terra não passassem de pequenos reflexos da energia angélica aqui presente.
A Ilha da Regeneração é circundada por um escudo de intensa força luminosa, que a protege contra os curiosos — aqueles que a procuram sem um desejo sincero de mudança.

 Uma vez que a Ilha da Regeneração se acha num plano mais sutil do que o plano físico  a única maneira de encontrá-la é se levado até ela. Todos aqueles que são sinceros de coração e de mente serão conduzidos à ilha e serão bem recebidos.
Você está convidado a visitá-la, eu resposta à sua invocação interior, na qual afirmou que está pronto para encontrar o seu anjo solar e para receber ajuda dos anjos da cura.

 Seu desejo profundo de introduzir mais luz no seu corpo, de criar um corpo forte, saudável e revitalizado, envia o sinal para que você seja trazido à ilha. Não é preciso sabe como nem por onde começar. Você será tratado com um convidado de honra que está aqui como hóspede, aprendendo a ver, a sentir e a ouvir nos plano sutis da realidade.

Sua parceria de cura
A Ilha da Regeneração é o local de partida para desfrutar a maior parceria de cura que você poderia fazer. Você se aliará ao seu anjo solar, à sua alma e aos anjos da cura para trabalhar com eles.

 A atmosfera está livre de formas- pensamento, emoções densas ou toxinas de qualquer tipo. Enquanto estiver aqui, você poderá se harmonizar com a ilha e deixar que a paz entre no seu coração. Os anjos da cura vêem você como um brilhante farol de luz no mundo. Você pode ajudá-los a desabrochar a beleza de todo o seu ser, pétala por pétala, assim como as pétalas de uma flor se abrem à luz do sol.

Não estás deprimido, estás distraído.





Não estás deprimido, estás distraído.

Distraído em relação à vida que te preenche, distraído em relação à vida que te rodeia.

Não estás deprimido, estás distraído.

Por isso acreditas que perdeste algo, o que é impossível, porque tudo te foi dado. Não fizeste um só cabelo de tua cabeça, portanto não és dono de coisa alguma.

Além disso, a vida não te tira coisas: te liberta de coisas, alivia-te para que possas voar mais alto, para que alcances a plenitude.

Do útero ao túmulo, vivemos numa escola; por isso, o que chamas de problemas são apenas lições. Não perdeste coisa alguma: aquele que morre apenas está adiantado em relação a nós, porque todos vamos na mesma direção.

Não existe a morte, apenas a mudança.

És movido pela força natural da vida. A mesma que me ergueu quando caiu o avião que levava minha mulher e minha filha;a mesma que me manteve vivo quando os médicos me deram três ou quatro meses de vida.

Deus te tornou responsável por um ser humano, que és tu. Deves trazer felicidade e liberdade para ti mesmo.

E só então poderás compartilhar a vida verdadeira com todos os outros.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Meditação - A Mais alta Vontade de Deus




A Mais  alta Vontade de Deus 

 “Quando uma pessoa dirige sua mente para alguma coisa, sua essência retorna para ela (...) Conforme a força de sua concentração, ela poderá então transmitir poder mediante seu desejo (...)

 “Quando não houver outro pensamento ou desejo misturado com sua concentração, ela pode tornar-se tão poderosa, que poderá transmitir uma influencia do Infinito (En Sof)”. O texto nos diz que enfocar a vontade com poder suficiente para elevar um objeto de desejo ao infinito, torna-se um canal pelo qual uma influência recíproca do infinito pode ser transmitida, e com poder de atender a esse desejo.

O passo seguinte, e o mais importante, desse processo espiritual distingue verdadeiramente a prática do mestre:

Um indivíduo ascende assim com o poder de sua concentração de uma coisa para a próxima, até atingir o infinito (En Sof).

Ele precisa, então, dirigir sua concentração da maneira apropriada para aperfeiçoá-la, e assim a Mais Alta Vontade poderá envolver a dele, e não apenas que sua vontade possa ser envolvida na Mais Alta Vontade (...)

A Mais Alta Vontade e a menor estarão assim unificadas. O indivíduo identifica a si mesmo com a sua ligação à Unidade. O influxo divino pode então ser transmitido com o objetivo de aperfeiçoá-lo.
O desejo mais baixo não é perfeito quando o indivíduo busca suas próprias necessidades. Preferencialmente, ele precisa avizinhar-se enquanto está envolvido na vontade e desejo de obter a revelação oculta no Mistério velado.

Quando alguém se aproxima dessa maneira, da Mais Alta Vontade faz-se presente junto a ele. Isso aumenta seu poder e motiva sua vontade até que tenha conseguido qualquer coisa que seja.

Esta vontade inclui até mesmo coisas que esse alguém deseja para si mesmo, nas quais a Mais Alta Vontade não tem qualquer participação.

Enquanto a maior parte dos ensinamentos espirituais é dirigida somente para a consecução da união divina na qual o indivíduo será envolvido na Mais Alta Vontade, a prática que é ensinada aqui retém e então dirige a vontade do mestre para “que a Mais Alta Vontade envolva-se na sua”.

Em vez de dissolver sua vontade no êxtase do infinito, o aspirante ao mestrado espiritual é ensinado a aperfeiçoar sua vontade ligando-se a essa unificação com a vontade mais alta, não como uma consumação final, mas “para obter a revelação do que está oculto no Mistério velado”.

Como o trabalho conclui a seguir: “Esse é um dos caminhos da profecia. Alguém que se acostuma a ele será merecedor de atingir o nível profético”. O mestre é alguém cujas palavras e obras “revelam a identificação” de um indivíduo com o poder divino, e seu propósito é aperfeiçoar-se como um instrumento da revelação divina.

 Tal instrumento “pode conseguir qualquer coisa”, mas apenas enquanto não usar seu poder de concentração “para suas próprias necessidades”.

O signo de Virgem - Esóterico





O signo de Virgem - Esóterico Alan Oken
Pesquisado por dharma dhannya

A Luz Dual Combinada
São vistas duas luzes - uma brilhante e forte, a luz da forma; outra vaga e tênue, a luz de Deus. Essa luz é distinguida por um crescimento de uma e a diminuição da outra. Difere da luz em Gêmeos.

Raio de Manifestação: Segundo e Sexto.

Regentes Planetários e seus Raios:
Na personalidade: Mercúrio Quarto Raio

Na Alma: Lua Quarto Raio.

domingo, 18 de agosto de 2013

A sua Vontade de Ser Curado e os anjos,




"A sua Vontade de Ser Curado"

Neste texto, você poderá entrar em contato com a sua vontade de ser curado e de aumentar a luz em suas células. Aprenderá como tomar essa vontade mais forte, não por meio de afirmações ou da imaginação, mas descobrindo o que refreia a sua vontade e libertando-se disso.

Quando a sua vontade de ser curado estiver livre dos fatores que a refreiam, sua energia magnética começará a atrair os anjos da cura. Eles então trabalharão com você e lhe darão energia para fazer tudo o que você puder em prol da sua cura.

Sua vontade de estar bem e cheio de vitalidade é a chave para o sucesso da cura e do aperfeiçoamento do seu corpo a fim de que ele concentre mais luz. O livre-arbítrio é a lei básica da evolução humana. Ninguém pode interferir com o seu livre-arbítrio. Os anjos não podem curá-lo, a menos que você esteja plenamente convicto do seu propósito de estar bem.

 Se alguma parte sua está resistindo, eles respeitam isso e esperam até que você esteja pronto. Quando isso acontecer, eles o ajudarão a curar, a regenerar e a rejuvenescer o seu corpo — mas não o farão até que você esteja pronto.

Se você não ama a vida, sente prazer em ser a vítima,  e  se você está envolvido no ódio, no passado,  na mágoa, no ressentimento você não está “plugado com a vida que cura.”

A Divina Providência é Luz Ain Soph - meditação





A Divina Providência é LUZ - Ain Soph 

Estou neste momento entrando em contato com a Luz
 que emana da Divina Providência.
Minha Alma está aberta, receptiva como um vaso
 para Receber e compartilhar a luz da Divina Providência.

Eu Sou Um-a só Alma.
Eu Sou a Fonte de Luz que emana de todas as Almas.
Mas Luz não é apenas felicidade, Luz é felicidade sem fim.

“Se  a essência das pessoas é o desejo,
E se o que desejamos é Luz,
Uma vez que o Universo está inundado de Luz,”
Estou aberta receptiva para  alcançar a felicidade duradora.

Tu és a manifestação da luz que
inclui todas as cores da alegria e da plenitude
que todos buscam em suas vidas.

Luz é  Ain Soph é felicidade sem fim.
Aqui e agora estou conectada com a Luz.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

A magia da Prosperidade. Eu faço tudo crescer e prosperar



 A magia da Prosperidade.
Eu faço tudo crescer e prosperar

Outra expressão de domínio que as pessoas de minha classe sobre prosperidade acharam particularmente poderosa era: 

Todas as coisas e todas as pessoas me fazem prosperar agora, e eu faço todas as pessoas e todas as coisas prosperarem agora.

 Eu estou deixando que a a inteligência Divina pense através de mim. Eu sei, eu me recordo, eu compreendo. Eu me expresso de maneira perfeita.

Pode parecer que proferir palavras categóricas de sucesso e prosperidade seja um método insólito. Que seja! Porém, se você mudar o fio dos seus pensamentos com relação ao fracasso e à pobreza, para poder ser próspero e bem sucedido, vá avante e tente.

Você precisa mudar o seu ritmo, o seu tom, a sua energia, a sua vibração, buscar a voz do Espirito Santo na sua voz. Você precisa da fé, de mudar de cenário, escrever outra estória para sua vida, precisa mudar o personagem para um personagem vitorioso e feliz .

Um funcionário do governo usou essas palavras todos os dias, e logo foi informado sobre uma herança a que ele tinha direito. Um estudante que também usou essas palavras de domínio se tornou um dos onze herdeiros de uma mina de ouro. Devido ao grande número de herdeiros, esperava-se que o que ele herdaria seria muito pouco.

 No entanto ele continuou a dizer, diariamente: Todas as coisas e todas as pessoas me fazem prosperar agora, e eu faço todas as pessoas e todas as coisas prosperarem agora.

 Começou então, a receber mensalmente cheques sobre os lucros que lhe cabiam. Durante os meses de inverno, quando se esperava que os negócios auríferos iriam declinar, foi quando ele recebeu os cheques mais vultosos. 

Ordene Para Que Seus Bens Apareçam
Existem centenas de expressões afirmativas que você pode usar para que os seus bens apareçam. Porém, devemos usar expressões de domínio precisas para casos precisos.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Tributo às mulheres Celtas do Norte de Portugal / Tribute to the Celtic ...

"A lei da Causa e Efeito"




"A lei da Causa e  Efeito"
eu fiz algumas considerações com a letra azul. 
Qualquer pensamento libera energia. Quando muitas pessoas emitem o mesmo pensamento, essa energia se multiplica, constituindo uma força, capaz de exercer poderosa influência sobre as pessoas ou acontecimentos.

Quando muitas pessoas professam uma mesma crença, irradiam essa idéia com força suficiente para que outros a captem e absorvam inconscientemente.

As famílias costumam manter crenças coletivas, como por exemplo: “Nós, os Silva, nunca tivemos sorte”. Assim, a família toda emite uma expectativa negativa, criando e atraindo suas próprias desgraças.

Já ouvi algo como: “Em nossa família todos dormem mal”. Falta de sono não é hereditária. No entanto, a expectativa coletiva de dormir mal é uma força potente, que prejudica os padrões de sono da família.
Obviamente, pensamentos e crenças coletivas também podem ser fatores poderosamente positivos.

A asserção “Somos uma família unida e amiga” é maravilhosa, O sentimento de amizade proveniente de cada um se mistura à crença coletiva, preenchendo o lar com uma atmosfera de hospitalidade que todos absorvem e apreciam.

A maioria de nós já experimentou entrar numa casa vazia e sentir bem-estar e paz. Em outra casa, pode ter havido uma percepção de tristeza. Captamos as vibrações dos pensamentos dos ex-moradores da casa, os quais nos afetam enquanto permanecemos no local. Para pessoas sensitivas, pode ser multo destrutivo viver continuamente num ambiente ruim.

As famílias criam suas próprias energias, que influenciam não somente a própria família como também as pessoas próximas.

Toda matéria absorve, retém e irradia energia. “Quando enchemos nossa casa de amor e alegria, até os diferentes materiais absorvem esta energia alegre, que se irradia para todos os que dela se aproximam”

Cada indivíduo pode fazer sua parte. Qualquer família pode criar um lar que seja como um farol de luz positiva no mundo. Quando enchemos nossas casas com felicidade, paz e alegria, o bem que fazemos é maior do que imaginamos. Até as visitas podem ser tocadas por essa energia positiva.

As comunidades costumam manter crenças coletivas. Uma delas, muito comum e lamentável, é de que as pessoas idosas se tornam dependentes, solitárias ou doentes - ou até mesmo inúteis. Então, quando as pessoas ficam velhas, correspondem a tal expectativa.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

O Poder da Vontade Espiritual





O Poder da Vontade Espiritual
Carlos  Cardoso Aveline

“Tanto o desejo como a vontade são absolutamente criadores, formando o próprio homem e o meio ambiente em que ele deve viver. Mas a vontade cria inteligentemente, enquanto o desejo cria cega e inconscientemente. O homem, portanto, constrói a si mesmo à imagem dos seus desejos — a menos que se construa segundo a imagem do Divino, através da sua vontade, que é filha da luz.” Helena Blavatsky

A vontade espiritual universal que mantém em movimento as galáxias e alimenta a evolução de tudo o que existe. Esta vontade desperta em nós quando estamos livres de desejos pessoais e de curto prazo. Mas parece haver pouco espaço para ela na vida diária do cidadão moderno, tumultuada pelo jogo das aparências e por obstáculos que ele cria com sua própria imaginação.

Usar nossa vontade é como voar. Quando você voa baixo precisa enfrentar turbulências, é ameaçado por obstáculos e se arrisca a cair. Quando voa no alto, o ar é menos denso. Não há turbulência. Você gasta menos energia, tem uma visão mais ampla do mundo e não corre o risco de bater em obstáculos ou desabar no chão.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

O milagre e o segredo dos nossos sonhos...




O milagre e o segredo dos nossos sonhos...

Se, por exemplo, você se imaginar desejando criar um novo jornal em sua comunidade, dará ao seu jornal o nome que bem entender e com o qual tenha “sonhado”. Em seguida, mandará imprimir uma porção de bonitos cartões comerciais com o seu nome e o do jornal a que você quer dar vida.

Vai para o telefone, envia cartas e entra em contato com os homens de negócios locais, comunicando-lhes que o seu jornal será impresso no dia que você determinar. Junta o dinheiro dos anúncios deles, prepara um “boneco” bem-feito do primeiro número e leva-o a um impressor.

Este imprime as páginas de acordo com suas instruções, faz o número de exemplares que você contratou com ele, e pronto! — nasceu o jornal com que você sonhou, com vida, nome e personalidade próprios! Ele Continuará a viver e a crescer enquanto você ou qualquer outra pessoa o alimentar ou lhe emprestar vida consciente.

A Tecelã - Fiar,tecer, criar,




A Tecelã
A Tecelã é uma imagem arquetípica freqüentemente representada na arte e na literatura, especialmente nos contos de fadas e mitos, através de figuras femininas – deusas, fadas, mulheres…. Pretendo aqui apresentar alguns relatos que exemplificam a correlação entre o processo de criação, como os trabalhos com fios e a literatura, e o processo de individuação feminina.
Desde os primórdios da civilização, podemos encontrar nos artefatos, como cestos e esteiras, trançados com fibras de folhas e cipós, as primeiras formas de tecelagem, talvez inspirados nas teias de aranhas e nos ninhos dos pássaros.
Considera-se que o trabalho feminino de preservação e manutenção da vida, da produção de artefatos de cerâmica e cestaria (ligada à função de nutrição), e dos primeiros tipos de roupa (ligada à proteção do corpo), foi um fator determinante na transformação do Homem natural num ser cultural.
As atividades femininas de tecelagem, fiação e bordado sempre puderam ser acompanhadas pela expressão espontânea de desejos, fantasias e lembranças, de passagem de tradições e memórias, de brincadeiras, risos e lamentos. Em muitas sociedades, levou a consolidar um espaço de encontro de experiências, solidariedade e cumplicidade. Espaço de cantos e narrativas. Nos momentos críticos da vida feminina, como o casamento e a gravidez, o enxoval bordado e tricotado pela família e amigas (hábito atualmente em desuso nas grandes cidades), se constitui num verdadeiro rito de passagem, evocando a imagem das Deusas Tecelãs, Senhoras do Destino, presentes em diferentes culturas.

Perdas de energia




Perdas de Energia 
 /Eliana Kruschewsky
1) O que é um “sugador de energia”?
Por sermos um complexo energético, estamos sujeitos a interações com várias dimensões de energias que podem ocasionar assimilação ou perda de energia.

Sugador energético é o ato de sugar energias de pessoas, animais, plantas, etc. São muitos os fatores que possibilitam este processo: carências afetivas, sexuais, financeiras, intelectuais, etc.

Todos nós possuímos necessidade de uma carga energética vital para nutrir nossos corpos físico e espiritual. À medida que gastamos a carga energética vital, ela deve ser reposta através dos mecanismos naturais de recomposição (respiração, alimentação, absorção do fluido cósmico universal e fluidos vitais através dos chackras).

A reposição desta carga energética vital, na quantidade mínima que necessitamos para manter a vida, depende de vários fatores, tais como: o modo de vida, o meio, a qualidade dos pensamentos, dos sentimentos, das sensações.