quinta-feira, 27 de setembro de 2012

A planta do Alto astral – Erva-de-são-joão e o “milagre” do bom sono.





"A planta do Alto astral – Erva-de-são-joão e o  “milagre” do bom sono."

A Erva de São João é excelente para tratar depressões, quadros de nervosismo e inquietação. Tenho experiência pessoal como o Erva de São João, quando tomo ao deitar durmo profundamente e até sonho mais do que o normal.

Desta forma, identifiquei na erva de São João os benefícios de um calmante, sem os inconvenientes que os calmantes alopáticos trazem.

Os médicos estão de olho na erva-de-são-joão.
Não é à toa.  Ela é uma opção natural que parece ser realmente eficaz para tratar indivíduos deprimidos.  (1)

A promessa é mais que tentadora: um tratamento natural capaz de aplacar os sinais leves e moderados da depressão, que arrasa o humor de cerca de 10 milhões de brasileiros.

 Os defensores da erva- de-são-joão (Hypericum perfaratum) se valem de estudos que comprovam os seus benefícios. Além disso, suspeita-se que a plantinha tenha menos efeitos colaterais do que drogas consagradas, como o famoso Prozac, o que ainda não foi comprovado.

Enquanto isso, ouvem-se histórias de gente que tomou as cápsulas da erva e, depois de algumas semanas, saiu espalhando para os amigos que o desânimo, a apatia e a angústia haviam desaparecido.

Não faz muito tempo que as atenções da ciência voltaram-se para as propriedades da erva-de-são-joão, planta natural da Europa, da Asia e do Norte da África que também é chamada de hipérico. Todos querem uma alternativa mais simples — e barata—para os antidepressivos tradicionais.

Neste exato momento deve existir mais de 20 milhões de brasileiros deprimidos.

Utilizada durante séculos pela medicina popular como cicatrizante e antiinflamatório, a erva-de-são-joão ganhou súbita fama no meio científico quando pesquisadores alemães publicaram os primeiros estudos sobre as suas propriedades antidepressivas há três anos.

 Segundo uma pesquisa, da Universidade Ludwig-Maximilian, em Munique, 55% dos deprimidos melhoraram depois de tomar cápsulas da planta.



Sinais de perigo.

Não há um abismo entre a depressão leve ou moderada e a grave. Quem está deprimido merece cuidados e ponto. A necessidade de tratamento é idêntica.

“O que varia é o grau de incapacitação que a doença causa no paciente’, diz Ricardo Moreno. Sem tratamento, os surtos depressivos podem durar de seis a oito meses.

Os indivíduos com depressão leve geralmente apresentam um ou dois sintomas, sem um prejuízo significativo para sua vida — mas, sem acompanhamento correto, seu quadro tende a se agravar.

 Quando o mal é moderado, a incapacitação já é evidente. “A pessoa começa a faltar ao trabalho, seu raciocínio fica lento e tem sintomas físicos não justificados”, descreve Moreno. Nos estágios mais graves da doença, ela perde peso, sente uma melancolia permanente, fica irritada sem motivo e, volta e meia, pensa em morrer.

Desde os anos 60, quando os primeiros antidepressivos foram testados, pesquisadores do mundo todo buscam entender com mais precisão os mecanismos da doença. E também descobrir drogas menos agressivas ao organismo.

Química cerebral.
No cérebro deprimido, três neurotransmissores (a serotonina, a dopamina ou a noradrenalina) poderiam existir em quantidade insuficiente. “Sabemos que a erva-de-são-joão atua da mesma forma que os medicamentos inibidores de uma enzima cerebral, mas seus efeitos são mais suaves”, observa Helena Calil.

Essa enzima, a monoaminoxidase, é responsável justamente por ajudar um neurônio a captar o neurotransmissor liberado por outra célula do cérebro.

 Ao impedir a sua ação, remédios como a erva-de-são-joão permitem que a química dentro da massa cinzenta seja reequilibrada.

“A eficácia dos antidepressivos é semelhante comparados entre si”, afirma Helena Calil. “E todos eles provocam efeitos colaterais.” Os mais comuns são dor de cabeça, problemas gástricos, insônia e boca seca.

Alguns podem causar ainda taquicardia ou pressão alta. Por ter um mecanismo muito parecido com o de outras medicações, existe uma lógica no raciocínio de que a erva-de-sao-joao nao estaria isenta desses efeitos.

 No entanto, como sua ação cerebral é mais leve, não é bobagem a esperança de que esses sintomas também sejam minimizados.

Seja qual for a intensidade da depressão, alguns médicos lançam mão dos medicamentos. A psicoterapia também é indicada quando a doença traz um impacto na vida do paciente. “A questão é que muita gente acaba correndo atrás das ervas com medo de uma avaliação  psiquiatra.

Observa Paulo Jácomo Negro. “Essa é uma maneira de fugir do problema.” Muitos sujeitos depressivos acabam por subestimar os próprios sintomas. “Na maioria das vezes, é uma doença recorrente”, ressalta Ricardo Moreno.

 “Quem já passou por um surto de depressão tem um risco de 50% de voltar a ter essa experiência.” E isso, sem dá- vida, poderia ser evitado.

 De onde vem
Saint John’s wort inglês, johannistrauk para os alemães e erba di san giovanni em italiano. Há quem diga que o nome vem dos cavaleiros de São João de Jerusalém, cujos integrantes usavam a planta para curar os ferimentos durante a jornada à Terra Santa, no tempo das Cruzadas. Outra explicação para o nome é que a erva começa a exibir suas flores amarelas nas proximidades do dia 24 de junho, consagrado pela Igreja a São João Batista. No Brasil, tornou-se erva-de-são-joão. Mas atenção: o legítimo hipérico com efeitos antidepressivos gosta mesmo é do frio e não cresce por aqui, no país.

Mas as conclusões ainda não são definitivas. Isso porque os testes feitos até hoje apenas compararam a eficácia da planta em relação ao placebo — comprimidos falsos, geralmente recheados de farinha, usados para saber até que ponto o efeito do remédio não é apenas psicológico.

“Nesse tipo de estudo, 30% das pessoas melhoram ao engolir o placebo”, afirma o psiquiatra Paulo Jácomo Negro, do Instituto Nacional de Saúde Mental, dos Estados Unidos. Ou seja, quase um terço dos deprimidos recupera a alegria de viver só por acreditar que está recebendo tratamento. Assim sendo, a erva-de-são-joão pode estar causando o mesmo tipo de ilusão.

 Para averiguar se ela faz mais do que os comprimidos de farinha, os cientistas realizam novas investigações, comparando-a com outros antidepressivos, em vez de usarem os remédios falsos.
É a hora da verdade.

Outra preocupação dos especialistas é em relação aos efeitos colaterais da erva. Eles parecem sei menos frequentes do que aqueles das drogas alopáticas. “Mas há alguns relatos de sensibilidade luz”, conta o farmacêutico Ademi Silva, de São Paulo.

Parece haver mais um problema. O receio das pessoas em procurar um psiquiatra e a possível eficácia da erva levam muita gente por uma trilha perigosa: a da automedicação.

 “Qualquer substância que entra no organismo tem alguma atividade, mesmo um produto considerado natural”, adverte o psiquiatra Ricardo Moreno, do Hospital das Clínicas, em São Paulo. “Extratos de plantas podem ser tão tóxicos quanto qualquer droga sintetizada em laboratório”, confirma a psicofarmacóloga Helena Calil, da Universidade Federal de São Paulo.

Apesar da falta de conhecimento sobre eventuais efeitos nocivos, a planta vem sendo muito receitada. Na Alemanha, metade dos usuários de antidepressivos prefere a erva-de-são-joão. O Prozac, remédio que virou uma coqueluche mundial, é tomado por apenas 2% dos alemães com a doença.

4 gotas da tintura é suficiente para algumas pessoas para uma boa noite de sono. Mas, pode ser que o o organismo de algumas pessoas não aceite o uso do remédio é bom na primeira vez tomar somente 2 gotas.

A verdadeira e as falsas ervas-de-são-joão.
Veja as plantas conhecidas pelo nome do santo

Erva-de-são-joão verdadeira ou hipérico.
Nome científico: Hypericum perforatum
Origem: Europa
Características principais: Pode chegar a 1 metro de altura, mas em média tem 80 cm. As flores são amarelas É fitoterápico.

Erva-de-são-joão falsa ou mentrasto
Nome científico: Ageratum conyzoides Origem: América do Sul
Características principais: Mede entre 50 e 80 cm. Tem flores azuis, lilases e brancas. É comum em hortas. Usado para reumatismo e artrose.

Cipó-de-são-joão
Nome científico: Pyrostegia venusta Origem: América do Sul Características principais: Trepadeira. Apresenta flores alaranjadas e é comum em beiras de estrada. Usada no tratamento do vitiligo e como expectorante.

Revista Saúde é vital – Maria Fernanda  Vomero


Para completar estas informações pesquisei na internet o tema neste blog:

  Este artigo  é do  site saudecompleta...


Do site saúde.sapo destaco: “ A hipericina (o principal composto) possui atividade anti-microbiana e anti-cancerígena, para além de um efeito antidepressivo. A hiperforina tem também uma ação antidepressiva, mas por um mecanismo fisiológico diferente. Outros componentes, como os taninos e o óleo essencial, conferem à planta uma atividade anti-séptica e cicatrizante. Os flavonóides têm um efeito anti-inflamatório e vaso protetor capilar. O conjunto de todos estes componentes e respectivas atividades fazem desta planta, pela via interna, uma ótima ajuda nos casos de depressão moderada, ansiedade, distúrbios do sono em idosos e agitação”


Encontramos a Erva de São João na forma de chá, em cápsulas ou drágeas com o nome de Hypericum perforatum ou Hipérico.

Alguma confusão é causada porque:

"existe no Brasil, uma espécie chamada "erva-de-São João" (Ageratum conyzoides, também conhecida por "mentrasto" e por "picão-roxo") que, obviamente, não é a mesma e nem possui nenhuma semelhança na forma, na taxonomia (classificação botânica) ou nas atividades terapêuticas que encerra.

Este mentrasto (Ageratum conyzoides) é planta muito comum no território brasileiro, ocorrendo nos terrenos abandonados, à beira dos caminhos e como invasora de culturas. É também planta de uso terapêutico, mas com outras propriedades e indicações."   publicado no site http://www.redetec.org.br/inventabrasil/esjoao.htm

Existem algumas contra indicações que precisam ser observadas e também recomenda-se doses moderadas, principalmente para que ainda não usou a essa erva. 

Importante ressaltar que por recente decisão da Anvisa a Kava Kava e a Erva de São João passaram a ter tarja vermelha, ou seja, devem ser indicadas por médicos. Isso não invalida os incontestáveis benefícios dessas ervas todavia, as recomendações da Anvisa e supervisão médica deve ser considerada.

 Postado por Dharmadhannya_el

7 comentários:

  1. Tenho pressão alto, posso tomar o chá?

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Obrigada pelo artigo! De verdade... vou consultar uma médica amiga minha para ver se rola prescrever para minha mãe que está com depressão moderada.

    Seu artigo foi muito interessante e de grande ajuda.

    Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Olá, muito grata. Wyly, acredito que sua mãe precisa de praticar exercícios , andar se puder, a depressão começa com a inércia que não fabrica alegria e verificar também os seus hormonios consulte seu médico. um abraço dharmadhannya

    ResponderExcluir
  4. Eu estou tomando a erva para ter sonhos vívidos (ou lúcidos). Sou um pouco ansiosa mas não chego a ter depressão, graças a Deus. Comprei hoje 100g numa casa de ervas perto da minha casa e paguei R$ 2,00. Já tomei hoje, vou tomar ao longo da semana pra ver como vai ser!

    ResponderExcluir
  5. Oi gente, bom dia! Eu sou muito ansiosa e tem prejudicado muito o meu sono. Ontem, pesquisando sobre a erva de são joão, decidi comprar a cápsula e tomei. Graças a Deus, para minha surpresa, dormi tão bem e hoje amanheci renovada. Decidi publicar a minha experiência para que outras pessoas possam se usufruir dos benefícios que essa erva tão abençoada proporciona.

    ResponderExcluir
  6. MUito grata Solange, é muito importante o seu depoimento para todos. haje luz para compartilhar para o bem de todos. Mas, há pessoas que tomam dormem e podem ficar deprimidas é da natureza da pessoa rejeitar a erva, a sua aceitou... um forte abraço dharmadhannya

    ResponderExcluir
  7. Hoje após começar a tomar a erva de São João posso dizer que a pessoa ansiosa, com dores no corpo, tremedeiras, palpitações e outros sintomas que atormentam uma pessoa que sofre com a Ansiedade, depressão e sindrome do pânico já não existe mais. Estava pesquisando algum chá que ajudasse acalmar na internet, e me deparei com uma reportagem que dizia sobre a erva de São João, no outro dia corri há uma casa de ervas aqui em minha cidade e comprei 4,00 dá erva sem mto acreditar, cheguei em meu trabalho e levei até a cozinha para fazerem chá, naquele dia estava com a Ansiedade a flor dá pele, meu corpo, pescoço doíam mto.....Aí tomei minha primeira xícara do chá....e eis que se passam uns vinte minutos e lá estou eu sorrindo, sem angústia e sem dores...Não acreditava no que eu estava vivendo, pois há dias ja acordava com todos os sintomas possíveis e com uma impressão que iria morrer há qquer momento. Continuo tomando minha sertralina, mas ha uma semana faço uso desse chá..Ajustei as doses do chá, para uma xícara de manha, uma na hr do almoco e outra ao dormir, me sinto ótima e já comprei a erva e distribui de presente para alguns familiares que sofrem tbem. Claro que cada organismo reage de um jeito, o meu aceitou super bem a erva....... Dizem que tomar demais altera a pressão sanguínea, então é bom não abusar...Mas tomar com moderação ajuda e muito. Acreditem!! Hj me sinto outra pessoa graças a Deus e a erva de São João com seu efeito imediato

    ResponderExcluir