sexta-feira, 31 de julho de 2015

Exames e diagnóstico da obstrução Nasal



Artigos de Revisão

EXAME DA CAVIDADE NASAL E TRATAMENTO CIRÚRGICO DA OBSTRUÇÃO NASAL

Roberto C. Meirelles
Mestre em ORL pela UFRJ; Doutor em ORL pela USP; Livre -Docente em ORL pela UERJ e pela UNIRIO; Professor Associado de ORL da FCM/UERJ.

Unidade Docente-assistencial de ORL - HU Pedro Ernesto.
Av. 28 de Setembro, 77/5º andar, Vila Isabel.
Rio de Janeiro - RJ. CEP 20551-030
Telefones.: (21) 2587-6220, (21) 2587-6210
E-mail: rcmeirelles@gmail.com

Resumo

O autor descreve a semiologia utilizada para avaliação da obstrução nasal, incluindo a inspeção e palpação externas do nariz, rinoscopia anterior, endoscopia nasal e outros exames como tomografia computadorizada, ressonância magnética e métodos de aferição do fluxo aéreo nasal. Na segunda parte aborda o tratamento cirúrgico da obstrução nasal, destacando as técnicas para correção da obstrução na rinofaringe, no septo nasal, na parede lateral e em outros pontos.

Descritores: Obstrução nasal, Exame físico, Conchas nasais, Septo nasal, Rinofaringe.


Abstract

The author describes the nasal obstruction assessment, including nasal external inspection and palpation, nasal cavity examination, nasal telescopy, nasal and sinusal CT and MRI and methods for measurement of nasal airway flow. Further describes the surgical treatment of nasal obstruction, with special interests in the technical procedures for rhinopharynx, nasal septum, nasal turbinates and others sites.

Keywords: Nasal obstruction; Physical examination; Nasal turbinates; Nasal septum; Rhinopharynx.

1. SEMIOLOGIA DA CAVIDADE NASAL

Neste capítulo descreve-se a semiologia nasal para avaliação da obstrução nasal, omitindo outros métodos utilizados.

Na inspeção externa observam-se as alterações anatômicas, sequelas de traumas, malformações congênitas, edemas ou processos inflamatórios. Na pirâmide nasal, especial atenção na presença de assimetrias e abaulamentos. Na base nasal, verifica-se o vestíbulo, a columela e a abertura anteroinferior com os orifícios narinários.

Na palpação do nariz pesquisa-se os pontos sensitivos e as alterações das formas dos ossos nasais e das cartilagens, como escolioses, selas, assimetrias e ulcerações. 

Traços de fraturas e pequenas assimetrias provocadas por estas, podem ser sentidas com os dedos e são caracterizados como sinal do degrau. Nos distúrbios motores e sensitivos procuram-se as alterações da motilidade e da sensibilidade, lembrando que distúrbios da sensibilidade podem gerar pseudo-obstrução nasal1,5,6.


1.1. exame da cavidade nasal

Para se examinar o vestíbulo nasal observa-se o mesmo durante várias inspirações e expirações. Em seguida, levanta-se a ponta e caso necessário, afasta-se lateralmente a asa do nariz. Em casos de obstrução nasal severa, podemos ver o colabamento da asa nasal, durante a fase inspiratória da respiração.

O exame da cavidade nasal deve ser realizado sob condições favoráveis de iluminação, com a utilização do fotóforo de luz fria. Para o diagnóstico de detalhes e das estruturas posteriores, os endoscópios rígidos ou flexíveis proporcionaram avanço considerável na semiologia nasal, mudando o padrão do diagnóstico ao permitirem ver alterações antes imperceptíveis ao exame habitual. 

Têm a grande vantagem de proporcionar visão com magnificação da imagem e gravação em vídeo para posterior estudo. Além disso, facilita e torna melhor o exame da metade posterior, dos meatos e do teto da cavidade nasal5.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

A Vitória - VENCEDORES E PERDEDORES




A Vitória - VENCEDORES E PERDEDORES
 Postado por DharmaDhannya

Nada podes ensinar a um homem.
Podes somente ajudá-lo a descobrir as coisas dentro de si mesmo. Galileu

Um vencedor não faz papel de “desamparado”, nem fica apontando os culpados. Ao contrário, assume a responsabilidade da própria vida. Não confere aos outros uma falsa autoridade sobre ele. o seu próprio patrão e sabe disso.


Para o vencedor o tempo é precioso. Não o desperdiça. Vive-o aqui e agora. Viver no presente não significa que ignore estupidamente seu próprio passado, ou que deixe de preparar o futuro. Ao contrário, conhece seu passado, está consciente e vivo no presente, e aguarda ansiosamente o futuro.


As palavras “vencedor” e “perdedor” têm muitos significados. Quando nos referimos a alguém como vencedor, não nos referimos à pessoa que vence outra pessoa, derrotando-a, fazendo-a perder.

 Para nós, o vencedor é o que reage de forma autêntica, alguém em quem se pode acreditar, digno de confiança, receptivo e verdadeiro, tanto como indivíduo como no seu papel de membro da sociedade.

O perdedor é o que não consegue responder de forma autêntica. Martin Buber exprime essa idéia quando conta mais uma vez a velha história de um rabino que, no leito de morte, se considera um derrotado. Lamenta que, no outro mundo, não lhe perguntarão porque não foi um Moisés; vão perguntar--lhe por que não foi ele mesmo.

Poucas pessoas são cem por cento vencedoras ou totalmente perdedoras. E uma questão de grau. Entretanto, uma vez no caminho da vitória, as chances de chegar a ser um vencedor serão maiores. Este livro pretende facilitar a caminhada.

Por que estou sozinho e sem amor?



 Por que estou sozinho e sem amor?
10 Coisas que fazem as pessoas se afastarem de você”.

No consultório algumas pessoas me perguntam sem o saber qual seria o motivo para suas vidas não fluírem como deveriam.

Às vezes se queixam de relacionamentos que nunca seguem em frente ou da solidão que sentem e não desconfiam dos motivos das pessoas se afastarem delas. Tenho certeza que essa é uma pergunta feita por várias pessoas, segue uma lista de motivos possíveis:

1- Instabilidade emocional 

Uma das coisas mais difíceis é se relacionar com uma montanha-russa, por dez minutos ou em uma festa pode até ser tolerável, mas para seguir numa amizade, como colega de profissão ou parceiro amoroso é impossível. O mínimo de estabilidade e previsibilidade é importante quando se trata de estabelecer vínculos de confiança.

2- Ser dominador
Naqueles dias que você não sabe nem o que quer jantar é muito bem-vindo alguém que tenha pulso firme para tomar a liderança. 


Outra coisa é conviver com um ditador que quer ter a razão em qualquer assunto e determinar como, quando, onde e pra quê sua vida deve existir. Sempre haverá alguém sem vida própria para revezar ao lado de uma pessoa mandona, mas no longo prazo é só reparar, nunca são as mesmas pessoas, ninguém aguenta.

3- Egoísmo galopante
Auto-confiança, opinião própria e boa autoestima são apreciadas numa pessoa, mas dividir espaço com um rei momo psicológico que coloque todas essas características na décima potência é asfixiante. Parte dos motivos que nos fazem ficar ao lado de uma pessoa é saber que ela valoriza quem nós somos por nós mesmos e não como espectadores de sua vida.

Meditação com o ritmo do coração



Meditação com o ritmo do coração 

Na Prática do Ritmo do Coração, a pessoa atinge o estágio da meditação quando o coração se expande para além de sua identidade individual a fim de transformar-se no coração da humanidade.

 De início, você permanece cons­ciente de seu coração dentro de si mesmo (concentração). Depois, toma-se consciente de si mesmo dentro de seu coração, que está desmedidamente ex­pandido (contemplação).

Finalmente, você descobre que o mundo todo abrange um único e coeso coração-realidade (meditação). Então você sente a experiência não apenas do seu coração pessoal, mas do coração de tudo, o co­ração que é infinito.

Nossa personalidade, comparada com nossa alma, é o mesmo que o arco- íris comparado com o sol. Nosso objetivo é iluminar a personalidade com a luz da alma. A meditação para o exterior nos conduz para dentro da alma; a me­ditação interior conduz a alma para a vida.

Na meditação para o exterior, você sente primeiro o batimento do cora­ção no peito, depois o batimento preenche o seu corpo. Todo o seu corpo pa­rece estar dentro do seu coração. Então o batimento do seu coração mostra-se como o ritmo do Coração, o infinito coração que tudo permeia e cujo bati­mento cria o ritmo de tudo na vida.

Na meditação para o interior, você desenvolve uma consciência simultâ­nea do batimento do Coração cósmico e do seu próprio coração em ritmo sin­copado, dentro de si mesmo. Então o batimento do Coração que a tudo envol­ve dá ritmo ao seu coração, fortalecendo e aperfeiçoando o seu ritmo.

 Nesse ponto, você sente a experiência de todos os corações, de todas as emoções, dentro do seu coração. O seu coração está em seu peito, embora não mais lhe pertença.

 Você sente e age como o coração de todos. Finalmente, o seu coração mostra-se como o Coração do universo. E o batimento do coração que marca o compasso de todos os corações e que movimenta as águas do oceano em ondas e o ar em rajadas de vento.

 O mundo todo suspira quando você sus­pira e sorri quando você sorri. Esse é um estado extraordinário que parece ser metafórico ou poético até que a pessoa perceba ser verdadeiro.

Tua música fez minha alma dançar; no murmúrio do vento ouço tua flauta; as ondas do mar mantêm o ritmo dos meus passos de dança.
Por toda a natureza, ouço a música que tocas, minha Amada; minha al­ma ao dançar expressa sua alegria na canção. [Hazrat Inayat Khan]
Quando meu coração está inquieto, perturba todo o universo.

 Quando meu coração está adormecido, ambos os mundos caem num sono pro­fundo. Toda a natureza desperta com o despertar do meu coração. Quando a concha de meu coração se quebra, pérolas se espalham por toda parte. [Hazrat Inayat Khan]

A meditação pura auxilia a pessoa a atingir os recessos mais profundos do coração ou da Alma ou do Espírito. A concentração leva em consideração principalmente a mente, enquanto a meditação, embora não deixe totalmente de levar em conta a mente, centraliza-se na alma que é o lugar do coração. [Hazrat Inayat Khan]

Ao penetrar profunda e intimamente na experiência pessoal de seu bati­mento cardíaco, você pode descobrir o ritmo fundamental de toda a existên­cia. Isso exige um esforço que não faz sentido “a sangue-frio”, uma expressão que meu mestre sempre usa, mas toma-se totalmente acessível quando a pes­soa passa pelos estágios iniciais de concentração e contemplação.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

A CHAVE-MESTRA QUE ABRE AS PORTAS






A CHAVE-MESTRA QUE ABRE AS PORTAS
PARA OS MILAGRES METAFÍSICOS -1 


Há uma Chave-Mestra que você pode usar para abrir as portas miraculosas dos segredos de todo o universo. O nome da chave é Desejo ou vontade de ....

A vontade de Deus move a inteligência divina que dá movimento e vida ao mundo.
A sua  Vontade divina move a sua inteligência que  cria movimento e dharma a sua vida.
Se você vive na depressão, suas palavras cantam  a “falta de ....” aos quatro ventos, e será esta sua vontade?....
Se você se concentra na carencia , vive na necessidade...
Dharmadhannya

Em Metafísica, chamamos o desejo de A Emoção Divina, pois é a Chave-Mestra que foi usada pelo criador para criar todo o universo. Quando tudo estava criado, Deus instituiu em todas as criaturas vivas a Emoção Divina, que, como força propulsora, põe todas as coisas em movimento cria­tivo.

É o desejo de sair do ovo que leva o pinto a começar a bicar o caminho para fora da prisão. Se o desejo não fosse nato, ele jamais conheceria o hálito da vida.

É o seu desejo de viver, amigo leitor, que mantém a força vital em ação no seu corpo, impulsionada pelo coração e pelas glândulas.
É o desejo de sucesso que o impele e lhe dá motivação para procurar os meios de fazer fortuna.

Essa Chave-Mestra, apenas, pode ajudá-lo a abrir as portas dos mistérios do universo.

O Senhor Jesus conhecia o princípio da Chave-Mestra. Disse ele: «Pede e receberás; procura e encontrarás; bate e as portas te serão abertas.»

Há um milagre Metafísico nessa grande Fórmula Espiri­tual o qual pode ajudar você a escancarar as portas dos tesouros invisíveis do universo.

Lembra-se da história de Ali Babá? Antes que as portas dos tesouros ocultos lhe fossem abertas ele precisou aprender primeiro a Palavra Mágica. Logo que a pronunciou, as portas se descerraram e ele encontrou riqueza ilimitada.

Analisemos agora o princípio Metafísico inerente às pala­vras peça, procure e bata. Em primeiro lugar, você só pode pedir algo que deseje. Esse é o começo da realização de qual­quer tipo de milagre...

 Você precisa usar a Chave-Mestra do desejo antes de poder condicionar as forças invisíveis do Poder Cósmico, as quais atuam através de sua Mente Divina.

A sua Mente Mortal pede e a Mente Divina superior, que reside em você, responde. Ela conhece todos os segredos do universo. É o Poder Divino que lhe formou o corpo em nove curtos meses.

 Se você está doente, não é natural procurar em si mesmo o Mestre Médico que conhece todos os produtos químicos e ele­mentos com os quais foi criado seu corpo?

O MILAGRE DA CURA ATRAVÉS DO DESEJO
Se você quer um milagre de cura, não é lógico que a Mente Superior, que governa todo o universo, saiba como realizar o milagre da saúde?

Pense apenas no mistério de seu coração, esse pequeno órgão mais ou menos do tamanho de seu punho que trabalha dia e noite, enviando a corrente sanguínea por todo o corpo, levando as impurezas ao fígado e, em seguida, bombeando mais uma vez sangue fresco e limpo com sua carga de oxigênio gerador de vida para as células.

A Luz e a Consciencia






Gostei muito deste texto, e gosto muito de estudar a simbologia da Luz.
Para mim a luz é a Graça de Deus  - consciência ativa da  Inteligencia Divina que move o mundo e que desperta em mim a consciência da Divina Presença - a centelha de luz do corpo de Deus ou Logos.
Dharmadhannya

A iluminação do Eu Superior 

O ENIGMA DA ORIGEM DA LUZ
Huyghens e Newton elaboraram a teoria das ondas luminosas transmitidas pela incandescência do sol, das demais estrelas e das chamas.
 As radiações das fontes de luz foram objeto de inúmeros tratados científicos. A natureza da luz sempre manteve os estudiosos imersos na perplexidade. Einstein, Maxwell e Louis de Broglie consagraram obras eruditas ao estudo da propriedade ondulatória ou, ao contrário, da linha reta do fenômeno da propagação, assim como ao estudo da formação da claridade luminosa molecular e material.

Observou-se justamente que “os objetos que nos cercam só são visíveis porque refletem a luz”. Esta luz se propaga por ondas. A sua irradiação é eletromagnética e energética. Bohr estabeleceu que a luz deve sua geração à matéria; a combustão a produz e a emite.

 A luz é um “elemento constitutivo do Universo”. Os físicos têm constantemente investigado seus desdobramentos no cosmos: do Sol à eletricidade e ao laser, e do infravermelho ao ultravioleta, eles repetiram suas experiências, anotaram suas observações em ótica, a irradiação luminosa no espaço e no vácuo.

 Observaram que sua cor branca comporta a reunião de todas as cores que o prisma decompõe. Newton comprovou isso.

As fontes luminosas, de origem térmica, atômica, gasosa ou incandescente, são conhecidas ou ao menos explicadas. “Matéria e luz estão ambas em contínua interação”, como diz Pierre Rousseau.

 O aquecimento produz a iluminação. De Euclides a Goethe, muitos foram os que perscrutaram o seu mistério, no qual alguns não hesitaram em ver um “magismo”! Sendo a velocidade do raio solar de 300.000 km/s, como medir a sua densidade?

Em resumo, escolhamos uma definição, tão clara quanto possível, ou seja, a dos cientistas: “Luz, é onda eletromagnética, cuja parte visível tem comprimento de onda que varia entre 0,4 e 0,7 micron. Propaga-se no vácuo a aproximadamente 300.000km/s”.

 “Segundo o seu comprimento de onda, ou segundo a mistura de seus comprimentos de onda, a sua impressão colorida é variável. A mistura de todos os comprimentos de onda nos dá a impressão de branco. A Luz obedece às leis da difração, da difusão, da reflexão, da refração e da polarização.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Aprendendo a meditar 2: Percepção Espontânea




Aprendendo a meditar: Percepção  Espontânea
Percepção sem plena consciência nos mantem na superfície das coisas. E frequentemente deixamos escapar outros níveis e somos dominados pelas emoções.

Significa Vipassana “ver as coisas como elas realmente são. ”

O primeiro passo nessa visão clara surge quando fazemos uma pausa e nos tornamos conscientes, interrompendo o fluxo dos nossos pensamentos, sentimentos e reações habituais.

A medida que os sons, sensações, pensamentos, imagens ou emoções surgirem em segundo plano na sua percepção, deixe que eles permaneçam lá e se concentre basicamente nas sensações da respiração.

A proporção que eles forem se deslocando para o primeiro plano deixe o que estiver predominando se tornar o foco da sua atenção um pensamento, um sentimento, o que estiver aparecendo com mais 

intensidade na sua percepção —, abrindo o campo da sua percepção modo a incluir toda a amplitude da experiência: a respiração, os sons, as sensações, os pensamentos, as imagens, as emoções.

Se você não tiver certeza de onde sua atenção deverá estar em algum momento específico, pode retornar à respiração.

Quando um pensamento ou experiência sensorial emergir forte­mente, deixe que permaneça na sua percepção. Fique com ele conscien­temente, deixando que diminua de intensidade e se dissolva sozinho;

 leve então sua percepção de volta à respiração ou para o que esteja mais predominante na sua percepção.

Independentemente do que aparecer, vivencie-o na amplitude da percepção, deixando a mente descansar sem vacilar, onde quer que ela vá...

Leão.sol. II Raio.Palavras chaves


                                                            

Signo de Leão - Esotérico Palavras chaves . Segundo  Raio
“Eu sou Aquele e Aquele sou eu.”
Alan Oken, Alice Bailey e outros mestres.

Pesquisado por Dharmadhannya


Leão
 Planeta
 Raios  I e V Raios

 Regente
 Sol II Raio
Personalidade
Reino -Hierarquia                     
Regente
Sol  II Raio
Alma
chakra - coração.
Signo
Fixo
Fogo (Filhos da Mente)
(Filhos do Fogo)
Glândula - timo
Sentido - Intuição
I Raio
Plutão
Vulcano
Politica - democracia
 I Raio
Áries  
 Leão
Forma - Triangulo 
V Raio
Vênus

Plano Monádico
V Raio
Leão
Sagitário e Aquário
cores - Indigo

 ....
Leão
 Sol
  II Raio

Segundo Raio
Coração – energia vital
 Alma
Desenvolvimento da Consciência
individualidade  
.
Regente
Sol  II Raio
Expressão da Alma

Energia do II Raio -
manifestação
Amor
Ideais
Sabedoria

Modo de expressão
Consciência
 Graça de Deus

Reconciliar a dualidade  com a
Síntese  
 Fusão

Planetas II Raio
Jupiter
Sol

Signos
Gêmeos
Virgem e
Peixes

Dualidade
Corpo astral
Mente inferior
Mente superior

Chakra coronário e a síndrome do lado esquerdo





Alerta: a síndrome do lado esquerdo!

“No início, toda nova Verdade é negada, depois é ridicularizada até se transformar naquela verdade que todos conhecem”.
William James, pai da Psicologia Transpessoal americana.
“Conhecerei a Verdade e a Verdade vos Libertará”.
Jesus.

“É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito humano”.
Albert Einstein.

Quero compartilhar esse conhecimento pleiadiano comprovado, experimentalmente, em milhares de casos na prática terapêutica de Freqüências de Luz.

 Essa síndrome atinge diretamente os seres da raça Índigo, os Trabalhadores e Guerreiros da Luz a serviço da Grande Fraternidade Branca, com uma missão fundamental na transição planetária.

 Quem não for um trabalhador da Luz ou estiver preso em velhos arquétipos ou em crenças religiosas limitadoras provavelmente não vai entender este texto, vai achar que é uma ficção científica, mas não é.

O termo Síndrome é utilizado na medicina alopata tradicional, materialista, Cartesiana e Newtoniana, para indicar um agregado de sinais e sintomas associados a uma mesma patologia ou doença e que em seu conjunto definem o diagnóstico e o quadro clínico de uma condição de desequilíbrio.

Iremos utilizar esse mesmo termo numa perspectiva holística, quântica, holográfica, da medicina natural, integral, xamânica, pleiadiana com o objetivo de alerta geral, pois, uma grande parcela da humanidade, 

principalmente da raça Índigo, está sofrendo dessa doença gravíssima que está sendo diagnosticada, erroneamente, como outra doença pela medicina alopata ou não estão sendo valorizados alguns sintomas vitais para a saúde holística.

UMA INTRODUÇÃO BASEADA NUMA CIÊNCIA HOLÍSTICA

1- A nossa conexão com as vibrações e dimensões superiores da consciência ocorre através do chacra coronário ou chacra da coroa, no topo da cabeça, que faz a conexão do Ego, dual, com livre arbítrio, da terceira e da quarta dimensões, dos estados de vigília e de sono, 
respectivamente, com o Eu Superior, no nível da quinta dimensão, da Verdade, da Luz e sem livre arbítrio, pois aí, como dizia o Mestre Jesus, seguimos a “Vontade do Pai”.

O Princípio da Vibração

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Meditação da Lua Cheia de Leão




Julho
31
Cheia
Leão
10:43 
7:43


Meditação da Lua Cheia de  Leão – Plenilúnio da Lua Cheia de Leão.

Vamos nos reunir neste dia nesta hora, com os mestres ascencionados da Fraternidade Branca.
vamos nos re-unir com a Divina Presença, com nosso eu Superior e receber as Graças da Unidade.

Postado por DharmadhannyaEL
1° Estágio: Preparação

Durante a meditação sentamo-nos com a coluna ereta. Fechamos os olhos, mas podemos abri-los caso surjam tensões. Descansamos nossas mãos sobre nossas pernas e juntamos os pés. Atingimos o maior relaxamento do corpo, transferindo o nosso centro de gravidade interior para o centro do nosso corpo. Deixamos a parte superior do corpo girar lentamente até que tenhamos a sensação de estarmos sentados em nosso centro, no Hara.

A respiração também tem um papel na preparação para a meditação. Inspiramos e expiramos em quatro fases. Ao expirar, pensamos:
“Solte — Centre-se”;
 então, prendemos nossa respiração e pensamos: “Torne-se uno”;
ao inspirar,  “Torne-se novo”;
 prendemos a respiração: “Seja o seu próprio Ser”.


 O “Solte” compreende todas as nossas preocupações, medos, tensões e agitações.
 No “Centre-se”, confiamo-nos às forças regeneradoras de nosso interior.
 No “Torne-se uno”,  rendêmos-nos ao real, ao primordial, ao Ser.

No “Torne-se novo”, forças novas jorram para nós, e no “Seja o seu próprio ser”, concentramos estes poderes dentro do nosso EU. Fazemos isso algumas vezes.

2° Estágio: Alinhamento

Alinhamento da tripla personalidade — física, emocional e mental — com a Alma. Para este exercício de integração, nós usamos após cada estágio a palavra sagrada OM a fim de afastar todas as vibrações perturbadoras.

a) O Corpo Físico
Estou bem relaxado e consciente de meu corpo. Estou sentado na cadeira, a cadeira é sustentada pela casa, esta pela Terra, a Terra pelo nosso sistema planetário. Esta hierarquia de apoio assegura a minha existência. Estou bem tranquilo, abrindo meu corpo para a Luz da Alma, dedicando-me à percepção e consciência mais elevadas, à perfeita expressão do Ser.

Aprendendo a meditar – atenção plena e consciência. 1


Aprendendo a meditar – atenção plena e consciência.

A meditação é muito importante para o encontro com a alma, principalmente para aquele que é dispersivo, impulsivo e sem concentração. No início pode ser difícil, mas insista e aprenda a comandar a sua mente e a sua vida.

Se você é muito agitado, hiperativo - a dança , a natação, a caminhada, Shi Kung ou o canto de mantra, poderá ser muito útil. Cada um tem um caminho, um ritmo.
Quando você controla e observa suas emoções, você controla sua mente e não é levado manipulado pelo outro, pelo ambiente.
Dharmadhannya 

Aprendendo a meditar – atenção Plena

Você pode começar agora, sozinho. Mas se o fizer, insisto fortemente para que em algum momento você faça um retiro de forma a poder fazer a um professor qualificado quaisquer pergun­tas que possa ter a respeito da prática da meditação.

Apresentarei a seguir várias instruções básicas para as duas abordagens, a prática da tranquilidade e a plena consciência, que irão ajudá-lo a começar sozinho.

No início, você pode meditar apenas por poucos minutos. Mas como uma prática cotidiana, faça uma sessão de pelo menos dez a 20 minutos. Se puder, procure chegar a meia hora — ou mais.

Você pode se sentar em uma cadeira ou, se estiver acostumado, em uma almofada no chão. Procure manter as costas em uma postura que não seja rígida demais, mas que também não seja excessivamente relaxada a ponto de deixá-lo sonolento.

Você pode meditar de olhos fechados ou abertos; se os mantiver abertos, não olhe ao redor; deixe apenas seu olhar descansar em um ponto não muito distante à sua frente.

Para iniciar cada um dos métodos, leia primeiro as instruções e depois tente fazer o exercício sozinho.

Plena consciência da Respiração

Enquanto vivemos, estamos sempre respirando. Meditar sobre a respi­ração significa simplesmente manter a atenção no processo natural da respiração, sem tentar modificá-lo de maneira alguma.

Focalize a atenção no local do seu corpo onde você sente mais claramente a respiração. Pode ser onde você nota o subir e descer do abdômen ou do peito a cada respiração; pode ser nas narinas, onde você sente o movimento do ar enquanto inspira e expira.

domingo, 26 de julho de 2015

Poder e milagres através das imagens mentais



NOVAS DIMENSÕES DO PODER MIRACULOSO
ATRAVÉS DE IMAGENS MENTAIS

Num estudo dos milagres realizados pelos grandes homens da história, descobri que a maioria explorava novas dimensões do poder miraculoso graças ao uso de imagens mentais. 

Ex­pandiam eles seus estados de consciência de forma a incluir novas combinações, novas ideias e novos conceitos que nin­guém antes havia elaborado.

O que é a imaginação? Define-a o dicionário como «o ato ou poder de formar imagens mentais daquilo que não se en­contra presente; o ato ou poder de criar novas ideias mediante combinação de experiências prévias.» A imagem é uma im­pressão visual de alguma coisa.

Em Metafísica, empregamos mais a imagem mental do que qualquer outro meio para obter a realização daquilo que desejamos.
A primeira vez em que a Bíblia se refere à imagem mental é na história da criação, o Gênese, quando diz:

«Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.»

A imaginação é uma função concedida por Deus com a qual o homem pode obrar os mesmos milagres que Deus rea­lizou. É na imaginação do homem que reside essa divina função, que ele pode usar para criar à imagem e semelhança dos se